Quem?

Minha foto
"Eu triste sou calada Eu brava sou estúpida Eu lúcida sou chata Eu gata sou esperta Eu cega sou vidente Eu carente sou insana Eu malandra sou fresca Eu seca sou vazia Eu fria sou distante Eu quente sou oleosa Eu prosa sou tantas Eu santa sou gelada Eu salgada sou crua Eu pura sou tentada Eu sentada sou alta Eu jovem sou donzela Eu bela sou fútil Eu útil sou boa Eu à toa sou tua."

29 de ago de 2011

…MANIFESTO: QUERO MEU LADO MULHERZINHA DE VOLTA……”



Primeiramente devo dizer: a culpa não é de ninguém.
Não me atirem pedras, nem queimem meus sutiãs que me são tão raros, caros e meus.
Ando pensando muito na questão ying/yang na sociedade e dentro de nós e o que eu vejo não são mulheres independentes e felizes com seus novos papéis, nem homens satisfeitos com um ter-que-ser que não combina com seus antigos moldes.
O que enxergo são homens e mulheres perdidos e insatisfeitos, loucos por colo e amor, e loucos de saudade.
Eu quero ser mulher de novo, estou cansada de virar homem tantas vezes ao dia, tendo que resolver a vida e o mundo.
Tenho que trabalhar, pagar contas, impostos, saber tudo sobre contabilidade, escrever, recitar Vinicius, ter uma bunda dura, um cabelo macio, quinhentos e cinqüenta e cinco cheiros gostosos pelo corpo, pés e mãos bem feitos, saber o que está passando no cinema, ler de Sartre a Vogue, ajudar a família e amigos, colocar os quadros novos na parede, responder e-mails e estar Linda e com a pele fresca para quando aquela pessoa que você joga charme há meses te chamar pra sair.
Ok, você toma banho em segundos, reclama com sua mãe enquanto procura o que vestir (a eterna dúvida do primeiro encontro) e tenta se focalizar em ser mulher.
Apenas mulher.
E o interfone toca e você está com duas blusas na mão, nenhum sapato no pé e uma interrogação bem no meio DA maquiagem.
O espelho não mente: você está ligeiramente Linda, confusa e cansada.
Mas pega a bolsa e vai...(afinal, arriscar é viver).
No caminho você pensa, enquanto passa o batom: o mundo está invertido ou será que sou eu?
E você não encontra respostas mas encontra o cara.
Parado.
Mudo.
Com um olhar bonito e alguma expressão que você não entende.
Aí tem a mesma imagem de minutos atrás.
Vê o ponto de interrogação bem no meio DA cara dele.
O cara não sabe o que fazer.
Não sabe se abre a porta do carro, se escolhe o restaurante, se te beija, se te come ou manda embrulhar, se manda flores no dia seguinte, se conversa sobre poesia, sobre filhos ou musculação, tudo porque ele está na dúvida se você vai achar lindo ou se vai rir na cara dele.
Tudo porque ele está perdido, mas...caramba, você também está!
Não sabe se ele tem a mente aberta como aparenta ou se é mais careta que seu tio.
E ninguém se percebe.
O cara te acha inteligente, gostosa, divertida, e acha que você é moderna demais pra gostar de uma mensagem fofa no dia seguinte.
Meninos, é mentira.
A gente gosta.
Tem gente que pode não gostar, mas eu gosto.
Vivemos num momento de transição e conflitos, mas FICA difícil de entender.
Nada mais normal.
Eu, por exemplo, trabalho, tenho minha Casa, sou forte por acaso, mas tenho meu lado mulherzinha que não me deixa.
Sou emotiva, sensível, choro à toa, rodo a baiana mas espero o telefone tocar, tenho meus nhem nhem nhens e estou cansada.
Cansada de ser racional.
Cansada de ser ´bem resolvida´, cansada de tomar a iniciativa, cansada de ser homem em cima do salto.
Por isso, em Nome do meu equilíbrio,
DA falsa modernidade e dessa bagunça que virou um simples abrir-e-fechar de portas, eu me atrevo a dizer: toda mulher tem seu lado mulherzinha.
Rapazes, sejam fortes e persistentes, nós somos complicadas, mas contamos com vocês!´


Martha Medeiros

27 de ago de 2011

Sobra tanta falta.

Falta tanta coisa na minha janela como uma praia
Falta tanta coisa na memória como o rosto dela
Falta tanto tempo no relógio quanto uma semana
Sobra tanta falta de paciência que me desespero
Sobram tantas meias verdades que guardo pra mim mesmo
Sobram tantos medos que nem me protejo mais
Sobra tanto espaço dentro do abraço
Falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo

Sei lá se o que me deu foi dado
Sei lá se o que me deu já é meu
Sei lá se o que me deu foi dado ou se é seu

Vai saber se o que me deu quem sabe
Vai saber quem souber me salve
Vai saber o que me deu quem sabe
Vai saber quem souber me salve







Teatro Mágico.
‎"nossos corações não necessitam de lógica, eles podem amar, perdoar e aceitar de uma forma que nossas mentes não conseguem compreender.
 Corações compreendem de maneiras que mentes não são capazes"




Lois Wilson, fundadora do AA

23 de ago de 2011

Fechando ciclos!

"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram. As coisas passam e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora; Soltar; Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto, às vezes ganhamos, outras perdemos. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo.
Diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Encerrando ciclos. Não por causa de orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira."




(Fernando Pessoa)

Recebi este texto hoje de uma grande amiga minha, quem eu amo demais.
E sei exatamente o porque que ela se lembrou de mim justo, neste texto.
Essa amiga, tem divido comigo muitas coisas, risos, gargalhadas, lágrimas, dores, perdas, dias de sol, e porque não de chuva também. E através desse texto , eu vejo o quanto me conhece lá dentro.
E saiba , que se para você foi um mero texto, pra mim, foi uma janela sendo aberta, e me mostrando que sempre é tempo de amar novamente, e principalmente se SENTIR amada!
Obrigada Mi. Te amo, beijos!

Porque tem que ser assim?

Será mesmo que tudo tem que ter explicação?
E se a lógica da vida, é não ter lógica?
E se pra ganhar, fosse preciso perder?
E para perder, bastasse ganhar?
De nada adianta, saber respostas, se nem as perguntas eu sei fazer.
Se não se tem um propósito, qualquer lugar vale, não é mesmo?
O saber não ocupa espaço, mas para tê-lo é preciso desprender-se de tudo que foi construído.
Desconstruir, menina.
Absorva o que vale a pena, amorteça a queda, mas deixar doer de vez em quando é válido.
Afinal, a vida bate na porta. E essa sim, vale a pena. Essa sim, te dar as resposta, e te guia para as perguntas. Essa aí, a vida. A sua, que você cuida, a minha que você tenta tomar posse.
Ultimamente eu me pego pensando,em o que me leva a crer que o amor exista?
E logo em seguida, eu recebo uma mensagem de uma amiga, ou recebo um abraço bem apertado, ouço um eu te amo, ou um: preciso te ver! E aí, eu entendo.
O que vale é o que se conquista.
As vezes a gente ganha, mas para tomar posse, é preciso conquistar!

20 de ago de 2011

Quem matou Norma, da novela 'Insensato Coração'?



" Pois é, para quem assistiu a trama toda fica claro: Norma já estava morta havia muito tempo.

Morta de amor por um homem que a enganava descaradamente. Todos entendiam. Todos sabiam, inclusive ela. Ele era um amor bandido! Então ficam a questões: por que permanecemos, se tudo nos diz PERIGO, PERIGO? Por que não escutamos os sinais de alerta? Por que ficamos na história quando todos, absolutamente todos, nos aconselham o contrário?

Bem, olhando só para essa personagem, não vamos tratar aqui do parceiro, quero crer que a "dependência emocional" misturada à vaidade comanda o caso.

Sim, porque uma das características de quem depende emocionalmente do outro é achar que "comigo vai ser diferente". Desta vez ele vai ser diferente. Desta vez ele está falando a verdade. Desta vez e só por esta vez, vou acreditar. E, assim, passam-se anos em relacionamentos que nada tem de saudável.

Um que usa e outro que sabe que está sendo usado e "faz de conta" que está tudo NORMAL.

Será? Será mesmo que é isso que liga dois? Um que depende e outro que manipula, isso é amor? Será esse o nome do sentimento de alguém que se doa e cobra? Dá e não recebe.

Cobra e controla outro que mente, inventa, dissimula? Aceita mentiras, aceita humilhação, agressões e diz estar tudo bem?

Será mesmo que dá para construir uma relação com base em mentiras e manipulação?
Por que então ficamos?

A meu ver, a explicação maior passa por baixa autoestima, medo, ilusão e crenças erradas que trazemos da infância. Tudo isso nos coloca num quadro de confusão de sentimentos e pensamentos que nos tira da verdade. Remete-nos a um mundo ideal, no qual fantasiamos que, sim, um dia tudo vai ser diferente. O outro vai nos amar. Vai nos escolher. Vai nos preferir.

E que doce fantasia viver esse sonho. Que na verdade é um pesadelo! E, a qualquer momento, seremos lembradas disso. Então, quero crer que, quanto antes entendermos, melhor. Quanto antes sairmos de cena, melhor. Quanto antes compreendermos que nossa história é um thriller e não uma comédia romântica, melhor!

Até porque, para fazer parte de uma história como essa, precisamos nos anular completamente. Morremos! Nos abandonamos para que o outro exista. O outro tenha o poder e a força. O outro nos dirija, como e para onde quiser.

Funciona? Não! Infelizmente não funciona. Um belo dia, quando não houver mais nada que interessa a esse outro, ele se vai e, então, bem, perdemos tudo o que nos mantinha de pé: a crença de que conosco seria diferente. Arrogância, vaidade, ego, tudo isso e mais um pouco.

Deixamo-nos perder para não sofrer e sofremos em dobro. Durante e depois de tudo.
O que fazer para não cair nessa armadilha? Buscar ajuda para mudar o padrão vicioso de comportamento que só quer confusão, só quer relações complicadas. Sair do círculo do medo, da ilusão e do ego e passar para o círculo da verdade, do amor e do self.

Fácil? Não, meus caros, nada é fácil quando a questão é sentimento, coração, emoção. Mas há de se tentar. Há de querer mais. Há de deixar de fazer pelo outro para começar a fazer por nós mesmos.

É possível?

Vale experimentar. Quem conseguiu sair desse círculo vicioso nem acredita que um dia viveu essa terrível experiência.

Escolhas, sempre escolhas."

Sandra Maia

19 de ago de 2011

...“Obrigada por insistir para eu voltar pra você, para eu deixar de ser adolescente e aceitar uma vida a dois, uma família, uma serenidade que eu não suspeitava. Eu não sabia que amava tanto você e que havia lhe dado boas pistas sobre isso, como é que você soube antes de mim?”
“Obrigada por insistir para que eu deixasse você, para que eu fosse seguir minha vida, obrigada pela sua confiança de que seríamos melhores amigos do que amantes, eu estava presa a uma condição social que eu pensava que me favorecia, mas nada me favorece mais do que esta liberdade para a qual você, que me conhece melhor do que eu mesma, apresentou-me como saída.”
“Obrigada por insistir para que eu não fosse àquela festa, eu não teria agüentado ver os dois juntos, eu não teria aturado, eu não evitaria outro escândalo, obrigada por ficar segurando minha mão e ter trancado minha porta.”
“Obrigada por insistir para eu cortar o cabelo, obrigada por insistir para eu dançar com você, obrigada por insistir para eu voltar a estudar, obrigada por insistir para eu não tirar o bebê, obrigada por insistir para eu fazer aquele teste, obrigada por insistir para eu me tratar.”
Em tempos em que quase ninguém se olha nos olhos, em que a maioria das pessoas pouco se interessa pelo que não lhe diz respeito, só mesmo agradecendo àqueles que percebem nossas descrenças, indecisões, suspeitas, tudo o que nos paralisa, e gastam um pouco da sua energia conosco, insistindo."


Martha Medeiros.


Obrigada as pessoas MARAVILHOSAS que fazem parte da minha vida, e que já fizeram parte em alguma estação.

Estação : A que se está!

"...Quando pessoas entram em nossas vidas por uma “Estação”, é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer… Acredite! É real! Mas somente por uma “Estação”...."


Martha Medeiros

Boas vindas.

Acordei hoje com uma sensação que bons ventos estão soprando pro meu lado.
E ha muito tempo não sentia isso.
Talvez tenha sido pelo fato que entendi de uma vez por todas que amor é um sentimento que pode ser sentido de várias formas, e uma delas pode ser um imenso carinho pelo outro.
E de fato, o que sinto hoje,é carinho.
E nada mais.
Sempre tive a teoria, que a vida é uma só, e devo desfrutá-la como uma saborosa sobremesa, colherada por colherada. Um dia de cada vez, e de forma intensa.
Haverão dias que pedirão coisas leves, momentos sutis. Ótimo,também os quero.
Haverão outros que precisarei lutar como uma leoa faminta, e alguns que serei uma dama da corte.
De todo modo, o bom da vida, é dividi-la e vivê-la enfim. Sem complicar nada,da forma mais simples que existe.
A representação da realidade, para cada um tem sua face , e por isso não podemos definir nada, nem nós somos definidos, estamos em eterna transformação.
Então eu penso que, nenhum problema, nenhuma dor, nenhuma perda, dura mais, do que o seu tempo de durar, e que sim, sou eu quem defino esse tempo. De acordo com a minha realidade .
E sim quando uma ou mais pessoa fala a mesma coisa, é hora de rever conceitos. Os amigos são ótimos observadores.
Por isso tenho os meus e não abro mão.
Quero que seja um novo tempo, um tempo de calma, de paz, de ir devagar.
Estou voltando a superfície, e preciso me acostumar a andar por cima,afinal foram anos, por baixo.
E nesse clima de boas vindas a minha vida, que começo meu final de semana.
Bom dia, para todos!


18 de ago de 2011

De fato , eu sei que não tenho escrito muito aqui, mas devido os últimos acontecimentos, ou seja, voltei a realidade da faculdade, meu tempo de criação tem ficado escasso.
Porém já tratei de terminar com o último livro (Nas tuas mãos - Inês Pedrosa) E já mergulhei em um exemplar de bolso ( lya luft ) Então, breve teremos uma nova safra! De todo modo, perdão, aos que me acompanham secretamente por aqui! Devo esse espaço á vocês. Beijos.

15 de ago de 2011

Solteiro sim, sozinho NUNCA!

Há pouco tempo, saiu uma reportagem em uma dessas grandes revistas nacionais, apontando o número de solteiros no país. É imenso! Quase uma febre. As indústrias se organizam mais e mais para atender a esse público SINGLE com mais eficácia. Isto é, o segmento é potencial e está em franco desenvolvimento.
Então, VIVA OS SOLTEIROS. Ou seja, homens e mulheres poderão viver essa escolha sem ter de dar satisfação e/ou ficar constrangido ao entrar em qualquer programa. Bares, restaurantes, cinema, teatro, viagens, todos esses ambientes estão se preparando para atender e, bem, a todos, sem causar espanto. Muitos roteiros estão sendo organizados somente para atingir esse público.
Logo, se você faz parte desse time, saia muito! Encontre-se, reencontre-se. Aproveite o tempo para "curtir" a vida, os amigos, os colegas, os familiares, o mundo.
Afinal, você, mais do que ninguém, está íntegro e completo. Pronto para a vida e, quem sabe um dia, escolher abandonar essa "boa vida". Embora conheça inúmeros solteiros que não querem nem ouvir falar em parceiro. Não querem mudar de escolha. Gostam da liberdade, gostam de estar só. Aliás, precisam disso para viver bem e feliz.
Eles gostam mesmo do silêncio, do não ter regras, do não ter de dar satisfação, do não ter que fazer nada programado. Gostam também de estar com o outro. Beijar, abraçar, ficar — mas sem a preocupação de que isso se transforme em um compromisso. E, quanto a isso, não vejo problemas, desde que fique claro para os dois lados o que vai ser — NAMORO ou AMIZADE?
É, faz parte também desse grupo ter amigos, viajar, divertir-se. Circulam bem e sempre têm com quem contar, caso queiram companhia. Como diz um amigo: adoro meu "grupo de apoio". Todos também solteiros e leves.
Se você está nessa condição — ok. Siga em frente e seja feliz. Você verá com o tempo que poderá ou não incluir outro na sua vida, poderá ou não se apaixonar para valer — e, isso dependerá só de uma mudança de escolha. Por vezes, nossas escolhas acontecem quando o coração fala mais alto que a razão. E por que não aceitar as que nos vêm com a mesma liberdade?
Que você possa, então, ser feliz e que nunca, nunca se sinta prisioneiro dessa ou qualquer outra escolha de vida. Mudanças acontecem em nossas vidas e são sempre para melhor, para o que precisamos no momento. Então, meu convite é: viva a plenitude do ser, não tenha preconceitos. Não se aprisione. Vida é MOVIMENTO.


Sandra Maia.

13 de ago de 2011

CENSURADO ! ?

Aproveitando o momento volta as aulas, e todos os problemas que venho enfrentando com minha instituição de ensino, venho por meio deste demonstrar minha indignação pela falta de liberdade de expressão, e pela miséria de educação que cada vez se agrava no nosso país.
Sim, pela manifestção pública. Porque todo individuo tem o DIREITO que lhe assiste enquanto cidadão, de ter seu espaço social, garantido e respeitado.


*****************************************************************
Brasília, 13 de agosto de 2011



--------------------------------------------------------------------------------



Abaixo a censura!


Pela liberdade de expressão e de manifestação de opinião e do pensamento
Comunicamos a todos/as que a campanha “Educação não é fast-food: diga não para a graduação à distância em Serviço Social” está momentaneamente fora do ar, em cumprimento a liminar proferida pelo juiz da 8ª Vara Federal de Campinas-SP, que determinou o recolhimento imediato de todo o material da referida campanha, sob pena de multa diária. O Conjunto CFESS-CRESS, a ABEPSS e a ENESSO estão preparando sua defesa jurídica e lamentam profundamente que, em uma sociedade democrática, não seja garantida a liberdade de expressão na defesa de uma política pública que viabilize a educação como direito.

Avocamos os direitos previstos na Constituição Federal de 1988, que assegura a plena liberdade de manifestação e expressão do pensamento SEM CENSURA ( art. 5º, IX).
Sigamos na defesa da educação pública, laica, presencial e de qualidade!

http://www.cfess.org.br/home.php



8 de ago de 2011

Quando se menos espera....

Chorar não resolve. Falar pouco é uma virtude. Aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo. E o que não mata com certeza fortalece.Às vezes mudar é preciso, mas tenha claro que não se pode mudar o comportamento de ninguém, a mudança vem de dentro. Nem tudo vai ser como você quer, e a vida continua.
Pra qualquer escolha se segue alguma conseqüência, vontades momentâneas não valem à pena e quem faz uma vez não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Uma vez que você faça algo que alguma pessoa não esperava de você, ela nunca mais te verá da mesma forma. Perdoar é nobre, mas esquecer é quase impossível
O discreto chama sempre mais atenção, nem todo mundo é tão legal assim, e de perto ninguém é normal. Todo amor é grande quando você o torna importante, quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida e o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente.
Você pode ser a melhor coisa que pode acontecer pra alguém, não é preciso perder pra aprender a dar valor e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida e o que nunca deveria ter entrado nela. O tempo sempre será o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado.
O mais interessante disso tudo, é que às vezes, quando tudo dá errado acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo

Autor Desconhecido.

P.S: Recebi esse email de uma grande amiga minha hoje, e era exatamente o que eu precisava ler.

5 de ago de 2011

Cada um com seu amor.

Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.

Machado de Assis

Eraser

Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito.

Machado de Assis

2 de ago de 2011

Foi dada a largada...

Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Tô me aproximando de tudo que me faz completo, me faz feliz e que me quer bem. Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem. Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém. Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também. Ultimamente eu só tô querendo ver o ‘bom’ que todo mundo tem. Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem? Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém. Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem. Tô feliz, to despreocupado, com a vida eu to de bem.

Caio Fernando Abreu.

Quem não dá assistência, abre concorrência

Você homem da atualidade, vem se surpreendendo diuturnamente com o "nível" intelectual, cultural e, principalmente, "liberal" de sua mulher, namorada e etc.

Às vezes sequer sabe como agir, e lá no fundinho tem aquele medo de ser traído - ou nos termos usuais: "corneado". Saiba de uma coisa... esse risco é iminente, a probabilidade disso acontecer é muito grande, e só cabe a você, e a ninguém mais evitar que isso aconteça ou, então, assumir seu "chifre" em alto e bom som.

Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos.

Mas o que seria uma "mulher moderna"?

A princípio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem tem) tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é corajosa, companheira, confidente, amante...

É aquela que às vezes tem uma crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está errada e correr pros seus braços...

É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e meiga, desarrumada e linda...

Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer...

Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas" pude constatar o pior:

VOCÊ SERÁ (OU É???) "corno", a menos que:

- Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje, elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.

- Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber - da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.

- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol...) mais do que duas vezes por semana, três vezes então é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo... bem...

- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.

- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo com relação ao sexo e, principalmente dos 20 aos 38 anos, elas pensam em - e querem - fazer sexo todos os dias (pasmem, mas é a pura verdade)...bom, nem precisa dizer que se não for com você...

- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????

Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.

- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você...só que o prato principal, bem...dessa vez é a SUA mulher.

Sabe aquele bonitão que, você sabe, sairia com a sua mulher a qualquer hora. Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece...Quando você reparar... já foi.

- Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar pro lado e simplesmente dormir.

- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas coisas...senão...

Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência".

Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas"... proteja-a, ame-a, e, principalmente, faça-a saber disso.

Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele "bonitão" que vive enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!

Arnaldo Jabor
“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho e que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?
A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?
E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”

(Caio Fernando Abreu)

1 de ago de 2011

Tentando um novo amor!

Para curar uma dor de amor, digam o que quiserem, só conheço um remédio: um amor novinho em folha. Enquanto nosso coração não encontrar outro pretendente, ficaremos cultivando o velho amor, alimentando-o diariamente, sofrendo por ele e, no fundo, bem no fundinho, felizes por ter para quem dedicar nossos ais e nossa insônia. A gente só enterra mesmo o defunto quando outra pessoa surge para ocupar o posto.

Se isso lhe parece uma teoria simplista, toque aqui. É simplista sim. Isso de enterrar o defunto do dia pra noite só funciona quando o defunto era apenas uma paixonite, um entusiasmo, fogo de palha. Porém, se era algo realmente profundo, um sentimento maduro, aí o efeito do novo amor pode revelar-se um belo tiro pela culatra. Ele acabará servindo apenas para dar a você a total certeza de que aquele amor anterior era realmente um bem durável. E a dor voltará redobrada.

Um beijo que deveria inaugurar uma nova fase em sua vida pode trazer à tona lembranças fortes do passado, e nem é preciso comparar os beijos, apenas as sensações provocadas. Quem já vivenciou isso sabe o constrangimento que é beijar alguém e morrer de saudades do antecessor.

Um novo amor pode transformar o que era opaco em transparência: você não sabia exatamente o que sentia pelo ex, se era amor ou não, então surge outra pessoa e você descobre que sim, era amor, caso contrário não sentiria esse abandono, essa perturbação, essa forte impressão de que está fazendo uma tentativa inútil, de que não conseguirá ir adiante.

Mas o que fazer? Encarar uma vida monástica, celibatária? Nada disso. Viva as tentativas inúteis! Uma, duas, três, até que alguma delas consiga superar de vez a inquietação do passado, que venha realmente inaugurar uma nova fase em sua agenda amorosa, que deixe você tranqüilo em relação ao que viveu e ao que deve viver daqui pra frente.

No entanto, quanto mais escrevo, mais me dou conta de que não há fórmula que dê garantia para nossas atitudes, de que não há pessoa neste mundo que não possa nos surpreender, de que tudo o que vivemos são tentativas, e que inútil, inútil mesmo, nenhuma é.

Martha Medeiros